A devoção dos santos e a Eucaristia

Corpus Christi (Foto Victor Hugo Barros)

 “A Eucaristia é ‘fonte e ápice de toda a vida cristã’. Os demais sacramentos, assim como todos os ministérios eclesiásticos e tarefas apostólicas, se ligam à Sagrada Eucaristia e a ela se ordenam. Pois a Santíssima Eucaristia contém todo o bem espiritual da Igreja, a saber, o próprio Cristo, nossa Páscoa”.

Assim nos fala o Catecismo da Igreja quando começa a refletir sobre esse sacramento tão precioso que Nosso Senhor instituiu. Quando ele diz que a Eucaristia é “fonte e ápice”, o Catecismo está citando uma passagem importante do Concílio Vaticano II, que podemos encontrar no documento chamado Sacrosanctum Concilium. E aqui podemos entender de maneira mais geral a celebração Eucarística, mas também o sacramento da Eucaristia mesmo, presença real de Jesus no meio de nós.

É um mistério de fé muito bonito. Para os que estão de fora, certamente parece um pouco estranho que nos vejam adorando o que se parece a um pedaço de pão, tanto na forma quanto no sabor. E é que a presença de Cristo nas espécies eucarísticas é única, nos diz o Catecismo. Com as palavras do sacerdote, as oferendas são transformadas. Santo Ambrósio afirma com bastante força: “Estejamos persuadidos de que isto não é o que a natureza formou (ou seja, pão e vinho), mas o que a bênção consagrou, e que a força da benção supera a da natureza, pois pela benção a própria natureza é mudada”.

Mesmo na vida dos católicos esse mistério muitas vezes não chega a penetrar até o mais profundo do coração. Como somos, especialmente nos dias de hoje, muito ligados aos nossos sentidos, fica difícil ir além deles para encontrar a Deus naquele pedaço de pão. Por isso é muito bom pedir ao Senhor que continuamente aumente a nossa fé. Para que possamos reconhecê-lo e adorá-lo no Santíssimo Sacramento do altar. Não se trata de negar os nossos sentidos pois, a não ser por uma graça especial de Deus, não deixaremos de ver e de sentir o pão e o vinho. O desafio é que a luz da fé ilumine nosso entendimento e que possamos ver, com os olhos da fé, a Deus presente no altar.

Os santos nos dão mostras de como isso se dá. Todos eles compreenderam de maneira profunda e existencial que Jesus está presente ali na Eucaristia. Por isso a sua reverência no trato com esse sacramento. Por isso a dor de ver como tantas vezes ele foi, e continua sendo, profanado, esquecido, deixado de lado. Esse é, aliás, um bom termômetro para saber como anda a nossa fé na Eucaristia. Qual é a minha experiência ao ver Jesus nessas situações dolorosas atualmente? Me importo que Ele esteja esquecido em muitas capelas na minha cidade e no mundo? Sofro quando uma Igreja é profanada?

Nossa Senhora com certeza pode nos mostrar uma atitude santa com relação a isso. Ela que esteve na presença real de Jesus durante toda sua vida e que continuou nessa presença certamente nas celebrações que se seguiram na Igreja nascente. Como ela sofreu com tudo o que Jesus sofreu. Como se compadeceu e permaneceu próxima dele, inclusive de pé, aos pés da Cruz que O matou. Peçamos a ela que nos ajude a ser cada vez mais reverentes com a presença de Jesus no meio de nós.

“A devoção à Eucaristia é a mais nobre de todas as devoções, porque tem o próprio Deus por objeto; é a mais salutar porque nos dá o próprio autor da graça; é a mais suave, pois suave é o Senhor. Se os anjos pudessem sentir inveja, nos invejariam porque podemos comungar.” (Papa São Pio V)

Irmão João Antônio Johas Leão

Leigo Consagrado do Sodalício de Vida Crsitã

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: