Santuário de Aparecida: destino obrigatório do turismo religioso

A grandiosidade do maior Santuário Mariano do mundo atrai e encanta milhões de peregrinos por ano

sant1 A devoção a Nossa Senhora Aparecida molda a fé do povo brasileiro há 300 anos.

Foi em 1717 que uma imagem simples e quebrada transformou a fé de uma nação até receber o título de Padroeira do Brasil.

A imagem que representa a Virgem Maria foi encontrada no Rio Paraíba do Sul por três pescadores, que haviam sido encarregados de conseguir peixe para um banquete para o governador da Província de São Paulo e Minas Gerais.

Após várias tentativas frustradas de pesca, os três pescadores surpreenderam-se ao ver nas redes uma imagem de Maria. Primeiro eles pescaram a parte do do corpo. Depois, rio abaixo, encontraram a cabeça.

Depois disso, os pescadores, que até aquele momento não tinham conseguido pescar nada, encheram suas redes com uma quantidade abundante de peixes.

Assim, em um pequeno altar numa casa de família, onde estava exposta a imagem, iniciou a devoção, reunindo todos os sábados os moradores da região para rezar o terço e cantar a ladainha.

Em virtude da expansão da devoção a Nossa Senhora ‘Aparecida’ das águas o vigário de Guaratinguetá e alguns devotos construíram no ano de 1740 uma pequena capela. Na capela acontecia a reza do terço e o cântico das ladainhas, mas não se celebrava a Eucaristia.

Em 1743, o vigário fez um relatório dos milagres e da devoção do povo para com Nossa Senhora Aparecida e enviou ao bispo do Rio Janeiro. Com o culto aprovado pelo bispo, foi construída uma igreja onde hoje é o centro da cidade de Aparecida, até então um pequeno povoado chamado de Capela de Aparecida.

A devoção e fama dos milagres de Aparecida cresceu de forma surpreendente década após década. No século XIX, os imperadores D. Pedro I e D. Pedro II foram a Aparecida rezar diante da imagem.

Em 1894 os Missionários Redentoristas chegaram a Aparecida, provenientes da Baviera, Alemanha, para se dedicar ao cuidado pastoral do novo Santuário, onde permanecem até os dias atuais.

Até 1946, a imagem permaneceu no estado em que foi encontrada: com o pescoço quebrado e sem as partes laterais do cabelo que pendiam até os ombros. Nesse estado, a imagem sempre ficou exposta no nicho do Santuário para veneração dos fiéis. Na década de 1950, fizeram-lhe pequenas restaurações.

Em 1978, um homem invadiu o Santuário à noite, quebrou o vido de proteção e retirou dali a imagem. Surpreendido por um guarda, ele derrubou a imagem, que se rompeu em mais de 200 partes.

Os pedaços foram levados para o MASP (Museu de Arte de São Paulo), onde a imagem foi restaurada.

Origem da imagem

A imagem de Nossa Senhora Aparecida teria sido esculpida por volta do ano de 1600. Sua confecção é atribuída ao frei Agostinho de Jesus, discípulo do frei Agostinho da Piedade.

Frei Agostinho de Jesus, se ocupava em moldar na argila piedosas imagens da Imaculada Conceição. Eram pequenas e se destinavam a oratórios domésticos.

Não há informações sobre como a Imagem foi parar no Rio Paraíba do Sul, antes de ser resgatada.

Atualmente o Museu Nossa Senhora Aparecida expõe a “Coleção Santa Gertrudes de Imagens Paulistas do Século XVII”, conta com 54 obras produzidas há mais de trezentos anos.

Um dos destaques da exposição é uma escultura de Frei Agostinho de Jesus com muita semelhança à imagem de Aparecida, encontrada pelos pescadores em 1717. A peça é tratada como ‘irmã’ da Imagem da Mãe Aparecida.

Estrutura do Santuário de Aparecida

santO maior centro de evangelização católica do Brasil é um espelho da devoção popular brasileira e estrangeira pela Rainha e Padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida.

Para acolher quase 12 milhões de peregrinos por ano, o Santuário Nacional oferece aos devotos área superior a 1,3 milhão de metros quadrados, com quase 143 mil m² de área construída.

A área específica da Basílica de Aparecida compreende quase 72 mil m², e inclui os pavimentos inferior e térreo, arcada e Tribuna sul, a Cúpula Central e as Capelas da Ressurreição e do Batismo, além da Torre Brasília.

É no interior da Basílica, no pavimento térreo, que fica o nicho da Imagem milagrosa da Padroeira do Brasil, exposta em um retábulo de 37 metros de altura. Neste pavimento, de 25 mil m², são realizadas as Celebrações Eucarísticas que chegam a reunir 30 mil devotos em torno do Altar Central; nas celebrações externas, a capacidade é para 300 mil.

O Complexo Turístico Religioso do Santuário Nacional abriga outras importantes áreas sagradas: Morro do Cruzeiro, onde milhares de fiéis realizam a Via-Sacra, o Porto Itaguassu, onde foi encontrada a Imagem da Senhora Aparecida, em 1717, e a Matriz Basílica ou Basílica Velha, monumento histórico-religioso que passa por restauração, e um Presépio Permanente de 7 mil m², onde são retratadas as cenas dos principais momentos da Infância de Jesus.

A grandiosidade do maior Santuário Mariano do mundo está presente em cada detalhe de sua estrutura: a Torre Brasília mede 109 metros de altura, incluindo a Cruz; a Cúpula Central possui 70 metros de altura; as naves medem 40 metros cada. A suntuosa Passarela da Fé que liga o Santuário à Matriz Basílica tem 392,2 metros de comprimento, e sua parte mais alta está a 35,52 metros do chão.

Bondinhos Aéreos interligam a Basílica ao Morro do Cruzeiro numa extensão de 1.100 metros.

A acolhida aos peregrinos que chegam de todas as partes do mundo é possível porque o Santuário Nacional possui o maior estacionamento da América Latina, com capacidade para mais de 6 mil veículos e extensão de 285.000 m² e um Heliponto.

O Complexo abriga, ainda, o Centro de Apoio ao Romeiro, com 380 lojas, incluindo ampla Praça de Alimentação, um total de 874 sanitários, sendo 55 adaptados para pessoas com deficiência e a Cidade do Romeiro – onde está localizado o Hotel Rainha do Brasil.

Toda esta estrutura é mantida pelos 2.000 colaboradores, além das centenas de voluntários, que recebem a cada dia os peregrinos de Nossa Senhora Aparecida e ajudam a sustentar sete projetos sociais que beneficiam a comunidade.

O Santuário, administrado pelos Missionários Redentoristas desde 1894, recebe a cada dia milhares de devotos. Em Aparecida (SP) pulsa o coração católico do Brasil e tudo está disponível para o visitante, pois “acolher bem também é evangelizar”.

Aleteia – Com informações de: A12.com / Santuário de Aparecida / Arquidiocese de Aparecida

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: