Idolatria e imagens

Idolatria é o culto prestado a ídolos, sendo este representado por figura ou imagem estatuária de uma divindade. Deus sempre abominou e proibiu esta prática.

serpente-de-bronzeEm Êxodo 20, 3-4, a bíblia nos diz: “Não terás outros deuses diante de minha face. Não farás para ti escultura, nem figura alguma do que está em cima, nos céus, ou embaixo, sobre a terra, ou nas águas, debaixo da terra.” Atualmente, estes versículos vêm sendo mal interpretados, servindo de argumento para acusações injustas, pois o primeiro e o segundo mandamento estão interligados.

Sabe-se que os povos antigos eram politeístas, ou seja, tinham vários deuses e não reconheciam em Javé o seu único e verdadeiro Deus. Assim, àquele povo escolhido, Deus proíbe a idolatria, pois o Senhor desejava e ainda deseja um povo santo. As imagens as quais se referem o segundo mandamento são imagens representando deuses, pois os hebreus estavam cercados de povos idólatras e seriam presas fáceis para inclinarem-se à prática.

Em Êxodo 32, 1-6, o povo desejou construir um ídolo: “Vamos, faze-nos um deus” e fizeram o bezerro de ouro, diante do qual se prostraram, prestando-lhe culto e adorando-o. Isto é idolatria! Aquele povo colocou o bezerro no lugar de Deus, despertando sua cólera, porque o bezerro era a imagem de um deus pagão… O que é bem diferente de imagens sacras, pois santo não é deus.

Quando o Senhor pediu que a Arca da Aliança fosse feita, ordenou que se colocassem dois querubins na tampa (Êxodo 25, 18), mas adiante no capítulo 26, 1, pede que alguns querubins sejam artisticamente bordados nas cortinas do tabernáculo. Não seriam imagens? Em Números 21, 4-9, quando o povo murmurou contra Deus e foi atacado por serpentes, o Senhor deu a Moisés a seguinte ordem: “Faze para ti uma serpente ardente e mete-a sobre um poste. Todo o que for mordido, olhando para ela será salvo”.

Moisés obedeceu ao Senhor e as pessoas foram curadas ao olharem para a imagem. Por que a imagem salvou aquele povo? Por tratar-se de uma imagem sacrossanta, ou seja, permitida por Deus. O Catecismo da Igreja Católica nos ensina: “No entanto, desde o Antigo Testamento Deus ordenou ou permitiu a instituição de imagens que conduziriam simbolicamente à salvação por meio do Verbo Encarnado, como são a serpente de bronze, a Arca da Aliança e os querubins”. (artigo 2130 CIC)

Acreditar que somos proibidos de termos qualquer tipo de imagem seria, no mínimo, inocente, pois os livros de história, geografia, biologia, etc. contêm imagens do que há no céu, na terra e nas águas e ainda de pessoas que já morreram… As fotografias são imagens… Os espelhos refletem imagens… Seria quase impossível viver este mandamento desta forma ou “ao pé da letra”.

Quando Deus proibiu a idolatria, Ele só pediu fidelidade, pois devemos amá-Lo sobre todas as coisas, de todo nosso coração e alma, porque Ele é digno deste amor! Adorar é reconhecê-lo como Deus, Criador, Salvador e nosso Senhor. O culto às imagens sacras não contraria o primeiro e o segundo mandamento. Adorar é um impulso do coração, pois “os verdadeiros adoradores adorarão em espírito e verdade e são esses os adoradores que o Pai deseja” (João 4, 23) Busquemos esse tipo de adoração!

Macileide Passos Alves

(Missionária – Comunidade Mãe Imaculada)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: