Esta foi a resposta do Papa ao jornal El País sobre a teologia da libertação

esta-foi-a-resposta-do-papa-ao-jornal-el-pais-sobre-a-teologia-da-libertacao-23-01-17

Papa Francisco / Foto: L’Osservatore Romano

Na última sexta-feira, o Papa Francisco concedeu uma entrevista ao jornal espanhol El País, na qual mencionou a situação dos migrantes, a situação internacional e da realidade latino-americana, onde se desenvolveu a teologia da libertação.

No diálogo, publicado no sábado, 21 de janeiro, o jornal espanhol perguntou a Francisco: “Você acredita que, depois da tentativa fracassada da teologia da libertação, a Igreja perdeu muitas posições em benefício de outras confissões e inclusive de seitas? Por que isto aconteceu?”.

O Papa respondeu: “A teologia da libertação foi uma coisa positiva na América Latina. Foi condenada pelo Vaticano a parte que optou pela análise marxista da realidade. O Cardeal (Joseph) Ratzinger escreveu duas instruções quando era Prefeito do Dicastério da Doutrina da Fé. Uma muito clara sobre a análise marxista e a outra olhando para os aspectos positivos. A teologia da libertação teve aspectos positivos e desvios, especialmente na análise marxista da realidade”.

Francisco nunca apoiou os postulados de Gustavo Gutiérrez

O Papa Francisco nunca apoiou os postulados de Gustavo Gutiérrez, sacerdote peruano conhecido como o propulsor da teologia marxista da libertação, afirmou em 2013, o padre jesuíta argentino Juan Carlos Scannone no livro ‘Francis Our Brother Our Friend’ (Francisco Nosso Irmão Nosso Amigo) (Ignatius Press, 2013), do diretor de ACI Prensa, Alejandro Bermudez.

O Pe. Scannone, um dos representantes mais conhecidos da teologia da libertação na América Latina, foi um dos professores do jovem Jorge Mario Bergoglio (Papa Francisco) durante o seu período de formação. “Na teologia da libertação há diferentes correntes e há uma que é a corrente Argentina”, explicou o Pe. Scannone.

O sacerdote recorda que “o Cardeal Quarracino (antecessor do Cardeal Bergoglio como Arcebispo de Buenos Aires) apresentou ao L’Osservatore Romano o primeiro documento da Congregação para a Doutrina da Fé sobre a teologia da libertação e ele distinguiu quatro correntes, citando sem nomear um artigo que eu tinha escrito dois anos antes”.

“E há uma corrente argentina, que o mesmo Gustavo Gutiérrez diz que é uma corrente com características próprias da teologia da libertação, que nunca usou categorias do tipo marxista ou a análise marxista da sociedade, mas sem desprezar a análise social privilegia uma análise histórica cultural”, explicou.

Em seguida, o perito jesuíta disse: “Na teologia argentina da libertação não se usa a análise social marxista, mas se usa preferentemente uma análise histórico-cultural, sem desprezar o sócio-estrutural e sem ter como base a luta de classes como princípio determinante de interpretação da sociedade e da história”.

Segundo Scannone, “a linha argentina da teologia da libertação, que alguns chamam ‘teologia do povo’, ajuda a compreender a pastoral de Bergoglio como bispo; assim como muitas de suas afirmações e ensinamentos”.

Para o Padre Scannone, “há coisas que acredito que marcaram de maneira especial o Cardeal Bergoglio, sobretudo o tema da evangelização da cultura, o tema da piedade popular. Uma coisa muito de Bergoglio é falar do povo fiel. Quando saiu à sacada (de São Pedro, quando foi eleito Papa), o primeiro que fez foi pedir que o povo rezasse por ele para que Deus lhe abençoe, antes de abençoar o povo. Isso é muito dele”.

Scannone acrescentou que “este tipo de teologia” sem categorias marxistas fez parte “do ambiente no qual ele exerceu a sua pastoral. De fato, a problemática da piedade popular e da evangelização da cultura, e inculturação do Evangelho, é chave nesta linha teológica”.

ACI Digital

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: