Blog Comunidade Mãe Imaculada

Santa Sé e Judeus de Israel encontram-se em Jerusalém

A 10ª reunião da Comissão Bilateral da Delegação do Grão-Rabinato de Israel e do Comitê para as Relações Religiosas da Santa Sé com o Judaísmo foi inaugurada na última terça-feira, 29, em Jerusalém. A reunião terminou ontem, 31, com uma declaração conjunta, e tem como tema “O desafio da fé e da liderança religiosa em uma sociedade secular”.

Segundo informações do Patriarcado Latino de Jerusalém e confirmadas pelo Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso, estão presentes no encontro, pelo lado católico, o Cardeal Jorge Maria Mejía, o Cardeal Peter Turkson, o Patriarca Fouad Twal, Dom Giacinto-Boulos Marcuzzo, Dom Bruno Forte, padre Francesco Fumagalli e o padre Norbert Hofmann.

Da parte judaica, participam dos colóquios os Rabinos Chefes Shear Yashuv Cohen, David Brodman, Ratzon Arussi, David Rosen e Oded Wiener. Está presente ainda Lars Hänsel como diretor do Centro da Fundação Konrad Adenauer, que hospeda o encontro.

Canção Nova

Anúncios

Setor Universidades visita cidades da Bahia para implantar Pastoral Universitária .

 

A coordenação da Pastoral Universitária (PU) da Bahia, juntamente com a assessora do Setor Universidades, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), irmã Maria Eugênia Lloris Aguado, estão visitando diversas cidades do estado fortalecendo os laços das Universidades que tem a ação PU e conhecendo cidades que pediram apoio na implantação da Pastoral.

Desde o dia 27 de março, até o dia 3 de abril, eles percorrerão ao todo nove cidades, para divulgar, conhecer as experiências, fazer contatos e suscitar nas pessoas interesses e desejos de iniciar a Pastoral Universitária.

“A Caravana”, como está sendo chamada essa visitação, passou pela Universidade Federal do Recôncavo Baiano, em Salvador, “onde se encontrou com 15 jovens que apresentaram o desejo de iniciar um grupo de Pastoral na Universidade”, destacou irmã Eugênia.

Depois seguiram para a cidade de Cruz das Almas, onde o padre Carlos André celebrou a eucaristia, na igreja matriz e o padre Gil André, pároco da igreja, convocou os jovens universitários interessados em conhecer o trabalho da PU a ficarem após a celebração para um bate papo.

“A surpresa foi que o número de jovens que ficaram chegou a 50, onde pudemos perceber que o jovem esta sedento de algo a mais na Universidade. Diante deste desejo, já marcamos reunião para o próximo dia 10 de abril, onde realmente irão começar um grupo de PU”, destacou a assessora do Setor Universidades.

No dia seguinte seguiram em direção a Feira de Santana, se encontraram com alguns jovens envolvidos com a pastoral na Universidade Estadual de Feira de Santana e na cidade de Amélia Rodrigues, houve o relato de ações que os jovens fazem na Universidade local.

Na terça feira, dia 29 a caravana passou o dia na cidade de Serrinha, realizando uma reunião com algumas pessoas interessadas em iniciar a PU na diocese. Pela tarde visitaram o campus da Universidade do Estado da Bahia (UNEB), onde foram recebidos pelo diretor da Universidade que mostrou uma grande abertura ao projeto de iniciar a Pastoral dentro da Universidade.

No dia 30 foi a vez da visitação à cidade de Alagoinhas. À tarde, a caravana retornou a Salvador, para participar do encontro com os bispos do Regional CNBB Nordeste 3 da CNBB (Bahia e Sergipe), na qual a irmã Eugênia Lloris, o padre Carlos André e a jovem Joyce Konig relataram os caminhos do Setor Universidades da CNBB, os projetos; as ações e experiências que a PU de Salvador vem realizando e falaram um pouco sobre a experiência da “Caravana”nas cidades do interior da Bahia.

“Os frutos da ‘Caravana’, antes mesmo de finalizar já estão aparecendo, um jovem de uma cidade onde não iríamos passar, entrou em contato, pedindo passássemos em sua cidade para auxiliar com a Pastoral. Ainda iremos à Itabuna, Ilhéus e Vitoria da Conquista”, destacou uma das coordenadoras da PU no estado, Joyce Konig.

CNBB

CMTT inicia semana com novas blitz

Em março, a Companhia Municipal de Trânsito e Transporte (CMTT) de Juazeiro deu início a uma série de abordagens em pontos diversos da cidade com objetivo de orientar e fiscalizar motoristas e condutores sobre cuidados e deveres no trânsito.

As blitz especiais estão acontecendo duas vezes por semana em locais e horários diferentes que são definidos somente no dia da ação. Nesta semana, a Companhia realizou novas abordagens e mais de 60 veículos foram fiscalizados.

Realizamos nova blitz na manhã desta quarta-feira (30) circulamos pelo Centro de Juazeiro com foco nos mototáxis irregulares. Abordamos também veículos comuns, num total de 45 durante a operação.

Destes, cinco veículos foram apreendidos e encaminhados à 8ª CIRETRAN por problemas na documentação, informou o supervisor de trânsito da CMTT, Marcos Cardoso.

Desde a última quinta-feira (24), quando as blitz foram iniciadas, cerca de 150 veículos foram abordados e mais de 50 multas foram emitidas. Para o supervisor de trânsito do município, o balanço inicial do trabalho é positivo.

“As abordagens têm também o objetivo de conscientizar a população a respeito dos aspectos de segurança necessários no trânsito e também coibir as infrações. A intenção da CMTT é a proporcionar à comunidade segurança no trânsito, com condutores realmente habilitados e oferecendo aos cidadãos um transporte de passageiros seguro”, acrescentou.

As operações da CMTT estão sendo realizadas em parceria com a Polícia Militar (PM), Gerência de Postura da Secretaria de Serviços Públicos (SESP), Companhia Especial Tático Operacional (CETO) e Comando de Policiamento Regional Norte (CPRN).

Portal Gazzeta

Evangelho aos jovens nas intenções do Papa para abril

O Escritório de Imprensa da Santa Sé deu a conhecer hoje que nas intenções do Papa Bento XVI para o mês de abril estão o anúncio do Evangelho aos jovens e àqueles que ainda não conhecem a Boa Nova de Jesus.

A intenção do Apostolado da Oração do Papa é: “Para que, através do anúncio credível do Evangelho, a Igreja saiba oferecer sempre, às novas gerações, renovadas razões de vida e esperança”.

Sua intenção missionária é: “Para que, através da proclamação do Evangelho e do testemunho da sua vida, os missionários levem Cristo a todos os que ainda não O conhecem.”

Acidigital 

Bispos uruguaios: “Aborto não pode ser aprovado porque destrói a vida humana”

Ao concluir sua assembléia plenária que se realizou entre os dias 21 a 25 de março, a Conferência Episcopal Uruguaia (CEU) deu a conhecer hoje um comunicado no qual assinalam que o aborto consiste em destruir uma vida humana inocente, algo que “nunca pode acontecer”.

Assim indicaram os prelados em resposta a uma iniciativa da deputada Monica Xavier, para despenalizar o aborto a pedido até a semana 12 da gestação.

O novo projeto de lei para despenalizar o aborto, vetado no ano 2008 pelo então presidente Tabaré Vásquez, conta com o apoio do atual presidente José Mujica, que disse publicamente que não vetaria a norma se for aprovada pelos senadores.

A respeito, no passado 8 de março, o líder pró-vida Álvaro Fernández, assinalou à agência do grupo ACI em espanhol, a ACI Prensa, que esta norma tenta acabar com os portadores de síndrome de Down ou má formações genéticas.

Sobre este projeto, os bispos uruguaios dizem em seu comunicado de hoje que “ao preparar-nos à celebração da Páscoa, festa da Vida, golpeia nosso coração de pastores a proposta de uma cultura da morte, da qual é sinal a insistência de alguns a favor do aborto”.

“A destruição de uma vida inocente nunca pode acontecer. Em uma sociedade que defende os direitos humanos, proclamamos a defesa do direito fundamental à vida dos seres humanos mais indefesos”.

Os bispos ressaltam logo que “a morte do mais débil, do inocente, do que tem capacidades diferentes, não é só tirar uma vida, é também cortar uma geração”.

“Neste sentido, resulta-nos paradoxal que, enquanto quer alentar o número de nascimentos, ante o inverno demográfico de nossa nação, e se fala de recorrer a cidadãos de outros países para povoar nosso chão uruguaio, promovam-se leis para dizimar nossa população”.

Por isso fazem “um novo chamado à consciência de nosso povo e de nossos governantes diante deste tema de primitiva importância”.

“Pensamos -concluem- que é necessário um esforço de imaginação e de humanidade para encontrar soluções que, ante as gravidezes não desejadas, contemplem as vidas das mães e de seus filhos em gestação”.

Comunidade Shalom

Questões ambientais passam por investimentos em educação, acredita sacerdote católico

 

Ainda não existem investimentos suficientes de políticas públicas que se destinem à educação e conscientização sobre questões como meio ambiente. A afirmação é do padre Francisco Ferreira Filho (foto), feita durante sessão ordinária dessa quarta-feira (30) na Casa Plínio Amorim em Petrolina.

O religioso, que participou da discussão por solicitação da vereadora Anatélia Porto (PSL), ressaltou a importância da Campanha da Fraternidade deste ano, intitulada “Fraternidade e a Vida no Planeta”.

Em entrevista ao Blog, ele argumentou que questões como lixo seletivo e combate ao desperdício de água ou energia elétrica precisam ser ensinadas de cedo. Para o padre Francisco, esse trabalho deve ser feito em conjunto entre poderes públicos, família, igreja e a sociedade em geral.

“A vida no planeta é intrinsecamente ligada ao meio ambiente. Se não mudarmos nossa mentalidade, morreremos junto com o planeta”, sentenciou o religioso. Esta é a quarta vez que a Igreja Católica remete-se ao tema. A primeira foi em 1979 (“Preserve o que é de todos”); a segunda, em 2004 (“Fraternidade e Água”) e a terceira em 2007 (“Amazônia”).

Blog do Carlos Britto

CNBB acolhe 1º Encontro de Educadoras negras .

 

Um grupo de mulheres negras e educadoras está em reunião até o dia 31, na sede da CNBB, em Brasília, para discutir questões relativas à educação, quilombo, identidade étnica, pastoral afro e juventude.

Promovido pela Pastoral Afro-Brasileira, o propósito do encontro, coordenado pelo assessor nacional da Pastoral Afro da CNBB, padre Ari Antônio dos Reis, é constituir e consolidar uma rede de trabalho formada por mulheres que atuam em diferentes áreas, com o objetivo de dar maior capilaridade às ações voltadas para a transposição das assimetrias que atingem a população negra.

O grupo tem representação de vários estados Maranhão, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo e do Distrito Federal. As nove mulheres participantes vêm contribuindo para a dinamização do trabalho pastoral por meio da inclusão do tópico etnicorracial na agenda da Igreja e da sociedade.

“A partilha de experiências está sendo um dos pontos mais expressivos do encontro, oportunidade em que as educadoras expõem sua biografia de vida, suas conquistas e dificuldades, conectando esses relatos com as histórias comuns que marcam a trajetória as mulheres negras”, sublinhou umas das participantes, Rosane Borges, professora da Universidade Estadual de Londrina.

Dos relatos, serão extraídas indicações para a construção de uma plataforma comum de trabalho voltada para articular o trabalho pastoral com o problema do negro e da mulher negra na atualidade.

O encontro prevê ainda análise de conjuntura, considerando as variáveis de raça e gênero, formulação de propostas para atuação nas pastorais, a construção de ferramentas para a educação quilombola e desenho de projetos voltados para mulheres negras em estado de vulnerabilidade.

Rosane Borges completa destacando a justificativa de uma rede composta só por mulheres: “Tradicionalmente as mulheres são as protagonistas no desenvolvimento de trabalhos sociais, as mulheres negras são agentes importantes no processo de revigoramento da luta social, com olhar de gênero e raça, e integram o grupo social mais vulnerável da sociedade brasileira”, disse.

CNBB