Blog Comunidade Mãe Imaculada

Card. Braz de Aviz: Institutos seculares, beleza e modernidade

23.08.16Com uma missa presidida pelo Cardeal João Braz de Aviz, Prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica, começam nesta segunda-feira (22/08) os trabalhos da Assembleia Geral da Conferência Mundial de Institutos Seculares (Cmis).

O encontro que reúne 140 participantes de 25 países termina na quinta-feira, 25 de agosto.

Formação e identidade na pauta da Assembleia

Os temas principais são a formação dos membros de Institutos seculares e a identidade da consagração dos próprios Institutos, e portanto, estão presentes no Centro Salesianum de Roma responsáveis gerais de Institutos seculares membros da Conferência e presidentes das Conferências nacionais e continentais de Institutos seculares.

O Cardeal concedeu entrevista ao Programa Brasileiro. Ele começa explicando o que são e qual o papel destes Institutos em na vida da Igreja e na nossa realidade.

Institutos seculares, modernidade e beleza

“Esta forma de vida consagrada é uma novidade moderna. Ela vem de Pio XII, de 1947 (tem a mesma idade que eu, 69 anos). Ela já estava começando a existir um século antes, e foi amadurecendo na Igreja. Ao invés de ser uma forma de consagração dentro de um instituto religioso, formando vida comunitária, vivendo fraternalmente numa mesma casa, esta é uma congregação normalmente individual e tipicamente no meio do mundo, no século – e por isto são chamados ‘seculares’. Não têm a exigência de uma vida comunitária, mas a consagração com as promessas, ou os votos de castidade, pobreza e obediência são feitos, e devem ser cumpridos na própria profissão, na própria família, aonde estiverem. É uma forma muito moderna e muito bonita”.

A intenção de Dom João Braz de Aviz também é agradecer os Institutos seculares pelo diálogo que têm desempenhado junto com a sua Congregação.

Diálogo contínuo e fecundo

“Vou me alegrar muito com eles, porque nós estamos fazendo um percurso muito bonito com a Conferência. Desde 2012 temos percorrido um caminho juntos. Temos um diálogo já institucionalizado, uma ou duas vezes por ano e tem sido muito útil. Temos visto que não há contraposições, o que há é a necessidade de conhecimento da própria vocação. A própria Conferência nos ajudou a pensar muito mais agora esta característica, da secularidade, ou seja, viver no mundo, no meio do mundo e quero agradecê-los por isto. E também hoje, sendo Nossa Senhora Rainha, gostaria de entrar hoje (na homilia, ndr) na figura de Maria, a consagrada por excelência”.

News Va

“Devemos manifestar a misericórdia de Deus através da nossa vocação”, afirma dom Sergio

Presidente da CNBB abriu atividades do Consep

Devemos manifestar a misericórdia de Deus através da nossa vocação, afirma dom Sergio 23.08.16

“Manifestar a misericórdia de Deus por meio da nossa vocação”. Esta foi a motivação do arcebispo de Brasília e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Sergio da Rocha, durante a celebração da palavra que abriu as atividades do Conselho Episcopal Pastoral (Consep) da entidade, reunido em Brasília (DF) nesta terça e quarta-feira, 23 e 24 de agosto.

No contexto do Mês Vocacional, foi proposta a temática “Vocação: dom da divina Misericórdia”. Segundo dom Sergio, o texto do Evangelho de Marcos, quando um homem pergunta a Jesus o que deve fazer para ganhar a vida eterna e Ele “fitando-o, com amor” responde que deve vender seus bens, dar o dinheiro aos pobres e segui-Lo, recordou que “toda a vocação na Igreja tem a sua origem no olhar compassivo de Jesus”.

Em sua reflexão, dom Sergio afirmou que a “mensagem do Evangelho ressalta o olhar de Jesus àquele e àquela que é chamado. Jesus olhou com compaixão, com misericórdia”. Para o presidente da CNBB, a vocação, na proposta de meditação, “é sempre dom da misericórdia de Deus, fruto da compaixão de Deus”.

“Não é uma afirmação teológica, mas uma experiência que nós vamos fazendo na própria vida e, como a nossa vocação, na origem dela está a compaixão, a misericórdia de Deus”, disse.

Dom Sergio explicou que a misericórdia não se expressa apenas no perdão, no momento de fragilidade, no momento de pecado, mas também como “ternura de Deus, como graça, gratuidade”.

“A nossa vocação dá os frutos esperados por Deus por meio da misericórdia”, afirmou. Dom Sergio concluiu lembrando das pessoas sofridas e necessitadas do olhar compassivo e misericordioso de Deus por meio dos olhos dos vocacionados e vocacionadas, cuja fonte e sustento é a misericórdia. “Devemos manifestar a misericórdia de Deus através da nossa vocação”, finalizou.

Programação

Devemos manifestar a misericórdia de Deus através da nossa vocação, afirma dom Sergio_ 23.08.16

A reunião do Consep começou com a apresentação da análise de conjuntura e uma exposição sobre a atual situação do Sistema Único de Saúde (SUS), feita pelo cardiologista e membro da Comissão Brasileira Justiça e Paz, Geniberto Paiva Campos. Ainda nesta terça-feira, os bispos escolherão o tema da Campanha da Fraternidade de 2018 e tratarão sobre o Ano da Misericórdia e o Ano Mariano, em 2017. Outro assunto a ser abordado refere-se ao Projeto de Emenda Constitucional 241, que pretende congelar por 20 anos os gastos primários do governo, como saúde e educação.

Na quarta-feira, haverá reflexão sobre a exortação apostólica pós-sinodal do papa Francisco Amoris Laetitia, com exposições das Comissões Episcopais para a Vida e Família e para a Doutrina da Fé da CNBB. A Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato também fará uma intervenção. Haverá ainda reunião dos presidente das Comissões com seus respectivos assessores e planejamento de seminário sobre a temática escolhida para a CF 2018.

CNBB

Medalha de prata, coração de ouro: atleta polonês leiloa medalha olímpica para ajudar menino com câncer

“No Rio, eu lutei para ter o ouro. Hoje, faço um apelo a todos para algo que é ainda mais valioso: a saúde deste menino fantástico”

Medalha de prata, coração de ouro atleta polonês leiloa medalha olímpica para ajudar menino com câncer 23.08.16.pngPiotr Malachowski

Os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro têm sido um surpreendente espetáculo de valores, testemunhos e grandiosidade do espírito humano.

A nova lição de humanidade que recebemos agora vem do atleta Piotr Malachowski, da Polônia, que conquistou a medalha de prata no arremesso de disco na Rio 2016.

Mas ele está leiloando o prêmio dos seus esforços!

Piotr ficou sensibilizado com o drama de Olek, um menininho de dois anos de idade cuja família não tem dinheiro para bancar um tratamento de câncer no olho.

Em sua conta no Facebook, o medalhista polonês explicou que foi procurado pela mãe de Olek logo após a conquista e que, já que não conseguiu o ouro, está tentando fazer a sua prata aumentar de valor para quem precisa. O atleta informou que todo o dinheiro arrecadado no leilão, que vai até 26 de agosto, será investido no tratamento do garoto em Nova Iorque. Até o momento, o maior lance dado pela medalha de Malachowski chega a pouco mais de R$ 60 mil.

Eis a tradução do chamamento à solidariedade que o atleta postou em seu Facebook:

Ganhar uma medalha olímpica para um atleta é realizar um sonho de vida. Claro, a de ouro é a mais preciosa. Eu fiz tudo que estava ao meu alcance para obtê-la. Infelizmente, desta vez, não tive sucesso. No entanto, o destino me deu uma chance de aumentar o valor da minha prata.

Pouco tempo depois da competição, Goshia, mãe de Olek, escreveu para mim pedindo ajuda para salvar seu filho.

Olek tem quase dois anos e vem lutando contra um câncer no olho há mais da metade de sua vida. O retinoblastoma é um tumor maligno do olho, que só ocorre em crianças com menos de 5 anos de idade. Na Polônia, não há chance de salvar Olek. A única possibilidade é a terapia em Nova Iorque.

Eu decidi ajudar Olek e coloquei a medalha do Rio em leilão. Todo o valor arrecadado no leilão será usado no tratamento de Olek. Eu também quero incentivar todas as pessoas de boa vontade a pagarem ou depositarem dinheiro na conta, enviarem mensagens de texto e ajudarem de qualquer maneira possível. Vamos ajudar os pais e a família de Olek.

No Rio, eu lutei para ter o ouro. Hoje, faço um apelo a todos para algo que é ainda mais valioso: a saúde deste menino fantástico.

É por isso que eu convido todos vocês ao leilão. Se você ajudar, a minha prata pode ser mais valiosa do que o ouro para o Olek.

Se você não puder ajudar financeiramente, por favor, reze uma Ave-Maria pedindo que Nossa Senhora interceda junto a Deuspelo bem do pequeno Olek.

Aleteia

Filme sobre cristãos perseguidos vai estrear com o apoio do Vaticano

pesA realidade dos milhares de cristãos perseguidos no mundo é o tema do documentário “Perseguidos pela fé”, obra do mexicano Felipe Vazquez Maqueda, com o apoio da Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) e do Conselho Pontifício da Cultura do Vaticano.

Com previsão de estreia em novembro, em Roma, e depois em todo o mundo, o filme foi produzido durante quatro anos e teve locações em vários países.

Segundo a Fundação AIS o documentário irá mostrar “a difícil situação religiosa que se vive em países como Egito, Paquistão, Iraque, Síria, Nigéria, China, Tibete, Terra Santa e em algumas partes da Europa”.00

Nestes países, as comunidades cristãs “não podem expressar livremente a sua fé”, estando sujeitas à violência, à perseguição e ao ódio.

De acordo com a produtora “Encuentro Films” o documentário procura “a reconciliação entre todos os seres humanos que habitam a Terra, a fim de tornar possível uma melhor convivência entre todas as confissões e fiéis, para evitar que mais pessoas continuem a morrer por causa das suas crenças religiosas”.

Uma cópia do documentário foi entregue em julho ao padre Federico Lombardi, então porta-voz do Papa Francisco, que na ocasião expressou a “gratidão” da Santa Sé pela produção deste filme.

Agência Ecclesia

Papa envia mensagem ao Sínodo das Igrejas Metodista e Valdense

p“Em sinal da sua proximidade espiritual”, o Papa Francisco enviou a sua “cordial saudação e fez bons votos” aos participantes do Sínodo das Igrejas Metodista e Valdense, que prossegue em Turim até o dia 26.

 Em uma carta assinada pelo Cardeal Secretário de Estado Pietro Parolin, o Papa assegurou “uma recordação particular na oração e invocou ao Senhor o dom de caminhar com sinceridade de coração em direção à plena comunhão para testemunhar de modo eficaz Cristo à inteira humanidade, indo juntos ao encontro dos homens e mulheres de hoje para transmitir-lhes o coração do Evangelho”.

Minoria cristã na Itália
O Cardeal explicou ainda como o Pontífice auspiciou que “as diferenças entre católicos e valdenses não impeçam que sejam encontradas maneiras de colaboração no âmbito da evangelização, do serviço aos pobres, aos doentes, e aos migrantes e no cuidado da Criação”.

Em março passado, pela primeira vez na história, uma delegação oficial das Igrejas Metodista e Valdense foi recebida em audiência pelo Papa no Vaticano.

Em 2015, o Papa Francisco visitou a igreja Valdense em Turim, sendo o primeiro Pontífice a entrar em um templo daquela que é a mais antiga minoria cristã da Itália.

Rádio Vaticano

As melhores coisas da vida são de graça

child cat

Zurijeta

Conheça a área da psicologia que se dedica a descobrir como podemos ser mais felizes – e aproveite estas dicas

As melhores coisas de nossa existência, na verdade, nunca são coisas: são momentos, lições, lembranças, abraços. Tudo isso acontece quando nos sentimos verdadeiramente livres e receptivos ao que nos rodeia, sem medos, sem atitudes que nos limitam, sem preconceitos…

Uma das premissas que definem a psicologia positiva é a eterna questão de como ser mais feliz. Martin Seligman, o maior representante dessa tendência e célebre psicólogo famoso antes de tudo por seus trabalhos sobre depressão e o desamparo aprendido, nos ensina que um modo de conseguir a felicidade é mediante o comprometimento. Seria essa a capacidade para alcançarmos os aspectos mais positivos e simples da vida tais como sonhar, abraçar e rir…

As melhores coisas dessa vida são de graça e não podem ser vistas, porque as oferecemos e as sentimos com os olhos fechados: beijar, abraçar, sonhar…

Por mais curioso que seja, nem sempre é fácil nos darmos conta de como esse tipo de ato tão simples enriquece nossa alma. Às vezes perdemos o rumo de tal modo que no final acabamos construindo uma vida em que não somos felizes de verdade. Nós mesmos criamos nossas próprias prisões e cenários em que perdemos o valor das coisas mais simples, das coisas mais autênticas…

A psicologia positiva e o valor das pequenas coisas

Até não muito tempo atrás a psicologia se centrava antes de tudo em descrever o que se relacionada ou a patologias ou a aspectos negativos como a depressão, o estresse e a ansiedade. A quase ninguém havia ocorrido ensinar para as pessoas algo tão essencial como aprender a ser feliz. Era como se cada um de nós chegasse ao mundo com um chip já instalado de fábrica que nos ensinava a alcançar esse estado de felicidade de uma forma natural.

O ser humano tem uma estranha habilidade para não ser feliz ou ao menos para não se sentir tão realizado ou satisfeito como desejaria. Por isso, em 1999 a Organização Gallup fundou o Instituto para Psicologia Positiva, e em 2006 Martin Seligman se converteu em um dos principais representantes dessa tendência que incide em diferentes aspectos da vida humana, como na relação entre a riqueza e a felicidade, que não é necessariamente uma relação direta, ou como a modernidade e a tecnologia não fazem as pessoas mais alegres…

Um aspecto essencial que nos ensina a Psicologia Positiva é que as emoções negativas nos ajudam a sobreviver de forma individual. O medo nos empurra a fugir, a tristeza a reconhecer que algo vai mal para nos reconstruirmos por dentro. Por sua vez, as emoções positivas nos permitem a conexão com os demais para sobrevivermos como espécie. Por isso os abraços, as palavras gentis, os carinhos, a amizade, o amor…

As melhores coisas nunca são coisas

Tal Ben Sha-har é outra referência no campo de estudo da felicidade e da liderança. O professor de Harvard e suas aulas sempre batem recordes de matrícula pelo grande interesse que suas teorias provocam, as mesmas que geraram livros como “Seja mais feliz” ou “Não busque a perfeição”.

Aproveite as pequenas coisas da vida: algum dia você se dará conta de que essas são as melhores.

Fica claro que ao grande público já não interesse tanto saber o que é uma depressão, ou quais são todos os sintomas do estresse. As pessoas querem que as ensinem como ser um pouco mais felizes ou ao menos como conseguir se sintonizar com o interior e o exterior para se sentir bem.

Lugares onde podem encontrar a felicidade

As melhores coisas são aquelas que não são planejadas e que surgem de forma espontânea. Um dos focos de estresse e insatisfação mais comuns é o fato de colocarmos altas metas e expectativas ou nos comprometermos a alcançar objetivos totalmente irrealistas.

  • A necessidade de aparentar juventude eterna, de acumular coisas, de alcançar medalhas… Tudo isso tem um limite, esse limite é não cair no perfeccionismo neurótico, mas sim no positivo, aquele que é realista, que agradece o que consegue, o que alguém consegue alcançar e o que o rodeia.
  • Não temos que ter medo do medo. Já ensinamos isso antes: as emoções negativas como o medo são toque de atenção individual que temos que saber atentar e aceitar, para depois passar por cima. Se vivemos, por exemplo, com medo de errar, jamais aprenderemos algo, jamais daremos um passo em direção à oportunidade ou à mudança.
  • Conheça suas emoções e faça uso delas. Já sabemos que as emoções negativas são armas para o autoconhecimento, e no que diz respeito a emoções positivas, devemos ver as mesmas como canais de crescimento e de expansão. O simples fato de as sentirmos e de as desenvolvermos cada dia através dos afetos, da comunicação empática, do respeito e do carinho nos permitirá conectar-nos com os outros para poder crescer por dentro e por fora, e assim sermos muito mais livres.

Aleteia

Oração para os que estão à espera de um grande amor

Se você sente que sua vocação é o casamento e está à espera dessa pessoa que Deus preparou para você, basta confiar.

Aproveite para rezar por ele ou ela, e continue preparando seu coração para este encontro:

Senhor Deus, tu és o amor

e me criaste para amar.

Procuro a pessoa que pensaste

para mim de maneira especial.

Faze-me paciente na espera.

Sei que fizeste seu coração para mim

e o meu coração para ela.

Ensina-me a guardar-me para esta pessoa,

como ela se guardará para mim.

Que minha impaciência não me desvie do caminho

nem me leve a buscar atalhos fáceis.

Treina-me no amor generoso aos outros,

para que, quando a pessoa chegar,

eu possa amá-la profundamente.

Ensina-me a orar por ela,

pelos nossos processos pessoais,

que vão amadurecendo nosso ser.

Cuida-a de todo mal,

guarda-a em seu corpo, alma e espírito.

Ainda que não nos conheçamos,

ajuda-nos a ser melhores a cada dia,

mais solidários, mais generosos,

mais puros de coração.

Bendito sejas, Senhor,

nesta pessoa que pensaste para mim.

Bendito sejas, Senhor,

que nos fizeste para amar e ser amados.

Bendito sejas, Senhor,

no dia em que nos conhecermos,

e que possamos empreender

o caminho de “ser um” no amor.

Amém.

OLEADA JOVEN

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.