Blog Comunidade Mãe Imaculada

Audiência: não amar é o primeiro passo para matar

Como na semana passada, Francisco aprofundou a quinta palavra do Decálogo: ‘não matarás’, recordando que aos olhos de Deus a vida humana é preciosa, sagrada e inviolável.

Cerca de 20 mil fiéis participaram esta quarta-feira (17/10) da Audiência Geral na Praça São Pedro.

Sob um céu nublado, o Papa fez a alegria dos peregrinos passando de papamóvel entre a multidão antes de pronunciar a sua catequese, dando prosseguimento ao ciclo sobre os 10 mandamentos.

Como na semana passada, Francisco aprofundou a quinta palavra do Decálogo: ‘não matarás’, recordando que aos olhos de Deus a vida humana é preciosa, sagrada e inviolável.

Desprezar é matar

Jesus no Evangelho revela um sentido ainda mais profundo para este Mandamento: a ira, o insulto e o desprezo contra um irmão é uma forma de assassinato. “Nós estamos acostumados a insultar. Isso faz mal, é uma forma de matar a dignidade de uma pessoa. Seria belo se este ensinamento de Jesus entrasse na mente e no coração. Não insultar mais ninguém: seria um bom propósito. Para Jesus, se você despreza, insulta e odeia, isso é homicídio.”

Quando vamos à missa, prosseguiu o Papa, deveríamos ter esta atitude de reconciliação com as pessoas com as quais tivemos problemas. “Mas às vezes falamos mal das pessoas enquanto esperamos o sacerdote. Isso não é possível. Vamos pensar na importância do insulto, do desprezo, do ódio. Jesus os insere na linha do assassinato.”

Para aniquilar uma pessoa, portanto, basta ignorá-la.

“ A indiferença mata. É como dizer ao outro: você é um morto para mim, porque você o matou em seu coração Não amar é o primeiro passo para matar; e não matar é o primeiro passo para amar. ”

De fato, desprezar o irmão é fazer como Caim que, quando Deus lhe perguntou onde estava seu irmão Abel, respondeu: “Por acaso sou guardião do meu irmão?” “Somos sim os guardiões dos nossos irmãos, somos guardiões uns dos outros!”, respondeu o Pontífice.

Precisamos de perdão

A vida humana necessita de amor, disse ainda o Papa, reiterando que o amor autêntico é o que Cristo nos mostrou, isto é, a misericórdia. Não matar é incluir, valorizar, perdoar.

Não podemos viver sem o amor que perdoa, que acolhe quem nos fez mal. Nenhum de nós sobrevive sem misericórdia, todos necessitamos do perdão. Não basta “não fazer nada de mal”, do homem se exige mais, ele deve fazer o bem, significa viver segundo o Senhor Jesus, que deu a vida por nós e por nós ressuscitou.

“Uma vez, repetimos todos juntos uma frase de um santo sobre isto: não fazer mal é coisa boa, mas não fazer o bem não é bom. Precisamos sempre fazer o bem, ir além”, disse ainda Francisco.

Eis então que a Palavra “não matarás” se torna um apelo essencial: é um apelo ao amor.

Vatican News

Diocese após Missa com Haddad: Padre foi devidamente advertido

Após a participação do candidato à Presidência Fernando Haddad (PT) em Missa e posterior discurso aos fiéis na escadaria da igreja, na Paróquia Santos Mártires, na Diocese de Campo Limpo (SP), foi divulgada nota informando que o ato se deu “à revelia do Sr. Bispo” e que o sacerdote responsável “foi devidamente advertido”.

O fato ocorreu na sexta-feira, 12 de outubro, Solenidade de Nossa Senhora Aparecida. Na ocasião, Haddad, juntamente com sua esposa Ana Estela e sua candidata a vice-presidente Manuela D’Ávila (PCdoB), participou da Santa Missa e todos receberam a Eucaristia.

Segundo informou o site ‘Estadão’, o candidato também teria discutido com uma mulher que disse que ele não poderia participar da comunhão por ser “um abortista”. Após a Missa, discursou para os fiéis na escadaria da igreja e recebeu o apoio explícito do celebrante, Padre Jaime Crowe, que pediu votos ao petista.

Diante do ocorrido, a Diocese de Campo Limpo divulgou uma nota de esclarecimento no dia 13 de outubro, na qual reforça que a indicação do Bispo Diocesano, Dom Luiz Antônio Guedes, “é que nenhum clérigo (padre ou diácono) que exerce seu ofício nesta Diocese deve se utilizar da celebração litúrgica, ou de qualquer ato de culto, com finalidades político-partidárias”.

“O sacerdote responsável pelo evento em tela, Pe.  Jaime Crowe, praticou esse ato sem prévia comunicação e à revelia do Sr. Bispo de Campo Limpo, e foi devidamente advertido segundo as normas do Direito Canônico”, afirma.

A Diocese reafirma ainda “a orientação de que, para aproximar-se da Eucaristia e comungar, todo fiel católico deve consultar sua própria consciência e verificar se está em comunhão com os ensinamentos de Cristo, e se está espiritualmente preparado e em estado de graça, para que, assim, receba a Sagrada Eucaristia de forma ativa, consciente e frutuosa”.

Além disso, acrescenta, “reafirmamos ainda o nosso compromisso em defesa da vida e a orientação de que cada cidadão vote com liberdade e de modo consciente no segundo turno das eleições”.

“A Igreja Católica não indica candidatos nem partidos políticos”, ressalta a nota.

Por fim, deseja “que os candidatos a cargos eletivos conduzam suas campanhas dentro dos princípios democráticos e éticos, visando a unidade do povo e o bem maior da nação brasileira, à luz do Santo Evangelho e do Bem Comum”.

Tolerância zero com abusos sexuais leva Papa a demitir dois bispos

POPE FRANCIS

Eles foram julgados por acobertamento de pedófilos; a decisão do Papa Francisco não admite recursos

O Papa Francisco dá prosseguimento à consolidação da sua política de tolerância zero no tocante a casos de abuso sexual perpetrados por membros do clero católico. Nas últimas semanas, ele demitiu três padres católicos do estado clerical na América Latina e, agora, acrescentou dois bispos do Chile a essa lista.

Trata-se de Francisco José Cox, arcebispo emérito de La Serena, membro do Instituto dos Padres de Schoenstatt, e Marco Antonio Órdenes Fernández, bispo emérito de Iquique.

O Papa Francisco já tinha prometido que não concederia o indulto a nenhum clérigo julgado e condenado pelo crime de abuso contra menores ou contra adultos vulneráveis, independentemente de ser presbítero, bispo ou cardeal. De fato, a nota informativa divulgada pelo Vaticano neste último sábado, 13, confirma que a “decisão do Papa não admite recurso”.

Francisco José Cox foi investigado por quatro acusações de abusos cometidos no Chile e na Alemanha. Marco Antonio Órdenes Fernández, que renunciou em 2010, enfrentava acusações de ter molestado uma criança em 2009, quando era reitor do santuário chileno de Nossa Senhora do Carmelo.

A Conferência Episcopal do Chile expressou solidariedade para com as vítimas dos abusos e declarou a sua adesão incondicional à decisão do Papa.

                                                                                                                     Aleteia

Rezar o terço sem contemplar os mistérios é válido?

PRAY YOUNG

Um padre responde à dúvida de um católico

O pe. Cido Pereira, que escreve no jornal O São Paulo, da arquidiocese paulistana, respondeu à pergunta de um leitor que relatou a sua dificuldade para contemplar os mistérios ao rezar o terço sozinho e que se questionava sobre a validade do terço rezado sem a contemplação.

O sacerdote respondeu:

Claro que você pode rezar o Terço sem contemplar os mistérios, meu irmão. Mas eu entendo que a oração do Terço fica muito mais completa com a contemplação dos mistérios. E sabe por quê? Porque a gente mergulha fundo na história de nossa salvação. Ao contemplar os mistérios, Maria está conduzindo-o a Jesus. Porque a sua devoção a Maria não o fecha para Cristo, e você aprende com Maria a fazer tudo o que Jesus mandar.

A beleza da devoção do santo Rosário consiste mesmo nesse mergulho nos mistérios gozosos, luminosos, dolorosos e gloriosos de nossa fé. É uma devoção que é essencialmente bíblica, porque não há mistério contemplado que não esteja presente nos textos bíblicos.

Quer catequese mais bonita do que repassar toda a vida pública de Jesus, todo o ensinamento dele, toda a sua Paixão, Morte e Ressurreição?

A reza do Rosário nos permite isso. Então, faça um esforço de decorar esses mistérios. De tanto rezar o Terço, eu já sei todos os mistérios de cor. E me faz bem, quando viajo, quando caminho pela cidade, quando perco o sono à noite, invocar Maria e mergulhar nos mistérios da fé. Sinto-me acolhido pelo amor maternal de Maria e sinto-me mais próximo de Jesus. 

                                                                                                                      Aleteia

Francisco pede orações pelos consagrados

“Os consagrados, com sua oração, pobreza e paciência, são essenciais para a missão da Igreja”, afirma o Pontífice no vídeo produzido pela Rede Mundial de Oração do Papa.

Além de rezar o Terço diariamente neste mês de outubro pela Igreja, o Papa Francisco pede aos fiéis que rezem também pelos consagrados.

“Os consagrados, com sua oração, pobreza e paciência, são essenciais para a missão da Igreja”, afirma o Pontífice no vídeo produzido pela Rede Mundial de Oração do Papa.

Mais do que nunca, acrescenta Francisco, com os desafios do mundo de hoje a Igreja precisa da entrega total dos consagrados ao anúncio do Evangelho.

“Não nos deixemos roubar o entusiasmo missionário e rezemos para que os consagrados e as consagradas reavivem o seu fervor missionário e estejam presentes entre os pobres, os marginalizados e aqueles que não têm voz.”

Todos os meses, Rede Mundial de Oração do Papa divulga um vídeo com a intenção de oração proposta pelo Santo Padre. Neste mês de outubro, em caráter excepcional, foram preparados dois vídeos, depois do apelo do Papa Francisco aos fiéis, para que rezassem diariamente o Terço pela Igreja.

Vatican News

O Perigo do voto nulo ou em branco

 “O cristão vota com seriedade, responsabilidade, não anula seu voto, e ensina o mesmo a quem for possível”

A pior atitude que podemos tomar diante de uma situação difícil é fazer como o avestruz que, diante do perigo enfia a cabeça na areia para fugir do perigo, deixando, no entanto, todo o corpo de fora.

Algo semelhante acontece com as pessoas que julgam que diante do difícil quadro e sistema político do nosso país, especialmente por falta de bons políticos, a melhor solução seja o voto nulo ou em branco. É um grande engano e um verdadeiro perigo para a nação, pois facilita a eleição dos maus políticos. É verdade que faltam bons candidatos para a eleição em algumas funções públicas, faltam de fato verdadeiros líderes cristãos que trabalhem pelo “bem comum”, e que façam da política um verdadeiro sacerdócio em favor do povo, mas, jogar fora o voto é a pior opção e uma verdadeira traição a si mesmo e à nação.

Sempre alguém será eleito para cada cargo público. Então, é necessário votar em alguém, ainda que não seja um candidato ideal. Quando estamos diante de uma situação difícil, da qual não temos outra saída, a moral católica manda optar pelo “mal menor”; isto é, escolher a solução menos mau. Isso deve ser aplicado na eleição. Vote no “menos ruim” se você acha que nenhum dos candidatos te agrada perfeitamente. Lembre-se de que não estamos votando para eleger um Padre ou um Bispo, mas um administrador honesto.

A democracia é a melhor forma de governo no mundo todo. Desde que Montesquieu elaborou a teoria dos três poderes independentes, tem sido a melhor forma de governo de maneira incontestável. Mas a democracia é como uma flor frágil, que só é bem mantida se o povo é educado, e vota com consciência, porque o voto é a vitamina, a arma, da democracia. Ela é o “governo do povo”, a palavra vem do grego “demos” (= povo) e “cratein” (= poder). É o poder exercido pelo povo, não diretamente como era na Grécia antiga, onde o povo se reunia na praça para decidir tudo; hoje isso não é mais possível. Então, o governo do povo é exercido por meio dos seus representantes eleitos. Mas, se o povo vota mal, não vota ou anula o voto, a democracia não se exerce em nome de todo o povo. Além do mais, em nosso país votar é uma obrigação legal.

Deixar de votar ou votar mal ou anular o voto é uma falta contra a sociedade e contra Deus, que nos dá, felizmente, o poder e a oportunidade de escolher cada candidato, o que não acontece em todos os países.

Deus certamente vai pedir contas a cada um de nós de como nós votamos; pois é uma graça podermos livremente exercer a cidadania buscando os melhores candidatos para cada cargo. O cristão vota com seriedade, responsabilidade, não anula seu voto, e ensina o mesmo a quem for possível.

Prof. Felipe Aquino

Bispos italianos enviam doação a vítimas de terremoto na Indonésia

Vista aérea de região atingida por terremoto e tsunami em Petabo, vizinhança de Palu/ Foto: Reuters/ Darren Whiteside

A contribuição foi feita através da Cáritas italiana e coordenada pelas Cáritas locais e dioceses indonésias

Os bispos da Conferência Episcopal Italiana doaram 1 milhão de euros para as vítimas do terremoto e do tsunami que atingiu a Indonésia. A contribuição foi feita através da Cáritas italiana e coordenada pelas Cáritas locais e dioceses indonésias.

Em 28 de setembro passado, um terremoto de 7.5 da escala Rictcher atingiu a província de Sulawesi central. Logo depois, um tsunami com ondas de até 6 metros abateu-se sobre o litoral de Palu e Donggala, atingidas anteriormente pelo terremoto. No balanço inicial, nos primeiros dias de outubro, as vítimas eram 1.407, às quais se acrescentam 799 feridos e 99 desaparecidos. No dia 3 de outubro, o vulcão do Monte Soputan, na ilha de Sulawesi, entrou em erupção, obrigando as autoridades do país asiático a elevarem o alerta na região para o nível 3 de uma escala de 4.

Segundo o último balanço divulgado foram 2.073 mortes, a maioria na cidade de Palu. Estima-se que cerca de 5 mil habitantes continuem desaparecidos, muitos deles nos escombros de casas e prédios destruídos. Quase 80 mil pessoas perderam suas casas e estão em abrigos improvisados e cerca de 200 mil precisam de ajuda humanitária urgente. Comida e água potável estão em falta e muitas vítimas perderam tudo.

O centro de gestão para a distribuição dos bens materiais, reconstrução e reabilitação estão na paróquia de Santa Maria em Palu. Todas as organizações caritativas da Cáritas e outras realidades das Igrejas locais estão em contato com o governo local e com os agentes humanitários presentes in loco. Uma das maiores preocupações é alcançar todas as regiões atingidas e administrar as ajudas disponíveis em base às necessidades.

A equipe indonésia de Médicos Sem Fronteiras (MSF), formada por médicos, e especialistas em logística e saúde, está trabalhando nas regiões mais remotas da ilha de Sulawesi em colaboração com o Ministério da Saúde local. A equipe de MSF conseguiu chegar nas áreas atingidas no distrito de South Dolo, Sigi, e mais ao norte, no litoral ocidental do distrito de Donggala, que abriga mais de 50.000 pessoas.

Da redação Canção Nova, com Vatican News